Blog

9 DE OUTUBRO DE 2019

Mitos e verdades sobre o Câncer de Mama

Mitos e verdades sobre o Câncer de Mama

A campanha Outubro Rosa vem sendo fundamental no processo de conscientização sobre o Câncer de Mama, um dos tipos da doença que mais acomete as mulheres.

Mas ainda há muita dúvida sobre a doença, o diagnóstico e o tratamento. Pensando nisso, organizamos uma série de Mitos e Verdades, confira:

Amamentar protege contra o Câncer de Mama | VERDADE

As mulheres que amamentam possuem menos chances de desenvolver a doença, devido ao tempo em que o nível do hormônio estrogênio no organismo da mulher não aumenta.


Qualquer caroço no seio é câncer | MITO

80% dos caroços encontrados no seio são benignos e não malignos, por isso não são sinais de câncer de mama.


Homens podem desenvolver a doença | VERDADE

Os casos são raros, mas homens também podem desenvolver o câncer de mama e devem ficar atentos a mudanças na região. 


A doença pode se desenvolver a partir de um trauma (batida) no seio | MITO

Batidas e machucados nos seios não são capazes de desencadear um tumor nem estimular a multiplicação das células malignas.


Hábitos saudáveis podem prevenir o surgimento da doença | VERDADE

Levar uma vida mais saudável pode reduzir em até 28% as chances de desenvolver a doença, segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer).

Entre os hábitos saudáveis, listamos os seguintes:

  • Praticar atividade física regularmente;
  • Alimentar-se de forma saudável;
  • Não fumar;
  • Ter o peso corporal adequado;
  • Não ingerir bebidas alcoólicas;
  • Evitar uso de hormônios sintéticos em altas doses.


Jovens não precisam se preocupar com a doença | MITO

Embora a maioria dos casos aconteçam a partir dos 50 anos, os jovens não estão livres da doença. Por isso, devem atentar para a saúde, realizar o autoexame e fazer um acompanhamento médico.


O câncer de mama tem cura | VERDADE

Sim! Tem cura e as chances aumentam com o diagnóstico precoce. Por isso, é tão importante realizar o autoexame e procurar um especialista ao notar qualquer mudança.


Mas como fazer o autoexame?
Confira a seguir:


Em frente ao espelho:

  1. Posicione-se em frente ao espelho;
  2. Observe os dois seios, primeiramente com os braços caídos;
  3. Coloque as mãos na cintura fazendo força;
  4. Coloque-as atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e forma do mamilo;
  5. Pressione levemente o mamilo e veja se há saída de secreção.


Deitada:

  1. Coloque uma toalha dobrada sob o ombro direito para examinar a mama direita;
  2. Sinta a mama com movimentos circulares, fazendo uma leve pressão;
  3. Apalpe a metade externa da mama (é mais consistente);
  4. Depois apalpe as axilas;
  5. Inverta o procedimento para a mama esquerda.


No banho:

  1. Levante seu braço esquerdo e apoie-o sobre a cabeça;
  2. Com a mão direita esticada, examine a mama esquerda;
  3. Divida o seio em faixas e analise devagar cada uma dessas faixas. Use a polpa dos dedos e não as pontas ou unhas;
  4. Sinta a mama;
  5. Faça movimentos circulares, de cima para baixo;
  6. Repita os movimentos na outra mama.

Se sentir alguma mudança na textura da pele, nódulo ou mudança no tamanho das mamas, procure um médico ginecologista. O profissional irá realizar o exame clínico de mama e poderá solicitar a mamografia.

Espalhe a informação e ajude a conscientizar a população sobre a doença. O conhecimento e a prevenção podem salvar vidas.

Você também vai gostar